segunda-feira, 4 de maio de 2009

Noções Básicas de Central de Material Esterilizado


Dinâmica e fluxograma do CME:

1. Fluxo unidirecional para os materiais;

2. Limita fluxo de pessoas nas áreas;

3. Conscientização da equipe para reduzir os riscos ocupacionais;

4. Estruturado em zonas conforme o trabalho realizado, com barreira física para garantir a qualidade no processo.


Centro de Material e Esterilização

1. Recebimento;

2. Limpeza;

3. Montagem;

4. Embalagem;

5. Esterilização;

6. Armazenamento;

7. Distribuição.


Limpeza dos Materiais

1. Remoção de toda a sujidade;

2. Redução da carga microbiana natural dos artigos;

3. Remoção das substâncias orgânicas e inorgânicas.

Tipos de Limpeza

1. Manual: os artigos são limpos peça por peça, utilizar água corrente, escovas, detergentes neutros ou produtos enzimáticos, não usar produtos abrasivos, usar sempre E.P.I (equipamento de proteção individual): luvas de borracha, aventais, bota, gorro, protetor facial ou máscara e óculos.

Desvantagens: exposição dos funcionários aos produtos químicos, umidade, aerossóis, ocorrência de ferimentos, disseminação de microorganismos, maior consumo de tempo.

2. Mecânica: lava os artigos por meio de equipamentos que operam em diferentes condições de temperatura e tempo, diminui a exposição dos profissionais aos riscos ocupacionais, reduz o manuseio do material sujo, limpeza adequada e uniforme, otimização dos recursos humanos.

Desvantagens: custo inicial alto e local adequado para a instalação.

Lavadoras mais utilizadas: ultra-sônica, termo desinfetadora, desinfetadoras ente outras.


Produtos de Limpeza:

1. Detergente industrial: limpa a través da redução da tensão superficial, dispersão e suspensão da sujeira;

2. Detergente Enzimático: neutros, não devem causar corrosão, atóxicos, biodegradáveis, fácil de manipulação. São compostos por enzimas, surfactantes e solubilizantes.

3. Desincrostante: devem ser usados em artigos de inox, remove manchas, placas minerais e oxidação.

4. Lubrificantes: lubrifica e protege o instrumental cirúrgico, é permeável ao vapor, calor seco, peróxido de Hidrogênio e óxido de etileno; não é diluído e não precisa de enxágüe.

5. Água oxigenada: limpeza de aspiradores, agulhas entre outros.

6. Água destilada: enxágüe de materiais como frascos de punção lombar, agulhas, seringas ...

7. Álcool: limpeza de material elétrico.


Enxágüe e Secagem:

1. Água deve ser potável e corrente, a secagem depende do tipo de material e pode ser feita com pano limpo e seco, secadora de ar quente ou frio e/ou ar comprimido.


Embalagens:

1. Finalidades:

Manter a esterilidade do produto, protegendo-o das condições de transporte e armazenagem até o seu uso. O atributo que se exige de um sistema de embalagem é a eficácia da barreira microbiana, a qual impede sob condições específicas a migração de microrganismos do meio ambiente para o interior da embalagem.

A embalagem deve: permitir a dissipação do agente esterilizante; a secagem e a aeração; manter a esterilidade; facilitar a apresentação asséptica.

2. Características: ser apropriada para os materiais e para o método de esterilização; proporcionar selagem adequada; proporcionar barreira microbiana adequada; ser compatível e resistente às condições físicas do processo de esterilização ( umidade , tempo ); permitir a adequada remoção de ar; permitir penetração e remoção do agente esterilizante; proteger o conteúdo do pacote de danos físicos; ser flexível; resistir à punções e rasgos; ser livre de furos; ser livre de ingredientes tóxicos; não gerar partículas; apresentar custo benefício positivo; ser usada de acordo com as instruções do fabricante.

3. Tipos de embalagem: tecido de algodão; não-tecido ( manta ); papel crepado; papel grau cirúrgico; tyvek; containers; papel kraf.


Esterilização: é o processo de destruição de todas as formas de vida microbiana nas formas vegetativas e esporuladas mediante a aplicação de agentes físicos e químicos.

Importante: é possível limpar o material sem esterilizá-lo; mas é impossível esterilizar um material sem antes limpá-lo corretamente.

Qualidades do método de esterilização ideal:

1. Bactericida, esporicida, fungicida, virucida e tuberculocida;

2. Processo de rápido, capaz de esterilizar no menor tempo possível;

3. Forte penetrabilidade;

4. Não tóxico;

5. Fácil monitorização e exata;

6. Custos razoáveis para operação e instalação.


Monitorização do ciclo de esterilização: através de testes com indicadores químicos ( monitoram parâmetros da esterilização com a finalidade de controlar a exposição do pacote interna e externamente ) e indicadores biológicos ( asseguram a probabilidade da ausência de todos os microorganismos vivos nos artigos processados).


Processos de esterilização:

1. Processos físicos: calor úmido, calor seco e radiação gama;

2. Processo químico: esterilização química líquida;

3. Processo físico-químico: óxido de etileno, plasma de peróxido de hidrogênio, gás de formaldeído.


Calor úmido ou vapor saturado sob pressão:

1. Indicado para artigos não sensíveis ao calor e ao vapor;

2. Artigos são termo resistentes;

3. Tempo de esterilização é variável;

4. Método mais econômico;

5. Indicador biológico usado é o bacillus stearothermophillus.

Vantagens:

1. Não tóxico;

2. Ciclo fácil de monitorar e controlar;

3. Processo rápido;

4. Penetra em materiais com lúmens;

5. Seguro para o meio ambiente e para o operador.

Desvantagens:

1. Dano a materiais sensíveis;

2. Material úmido compromete a qualidade do processo.


Resolução RDC n º 50 ressalta para as áreas de esterilização e armazenamento: ... esterilizar os materiais e as roupas , através de métodos físicos e/ou químicos, proporcionando condições de aeração dos produtos, conforme necessário; fazer controle microbiológico e de validade dos produtos esterilizados, armazenar ao materiais e as roupas esterilizadas, zelar pela proteção e segurança dos operadores, ... .


Monitorização do processo de esterilização: parâmetros do processo

1. Tempo;

2. Temperatura;

3. Pressão;

4. Vapor.


Manutenções preventivas e corretivas:

1. Diária;

2. Semanal;

3. Mensal.



Calor seco ou estufa: utilizado para artigos que não sejam sensíveis ao calor mas sejam sensíveis a umidade. Se tem o indicador químico da classe I para validar o processo que é a fita teste que indica que o material passou pelo processo.


Vantagens:

1. Não tóxico;

2. Não provoca dano ao meio ambiente;

3. Baixo custo de manutenção;

4. Capacidade de penetração;

5. Não é corrosivo;

6. Não desgasta a superfície.


Desvantagens:

1. Impossibilidade de garantir o processo de esterilização, por dificuldade na realização de sua validação;

2. Tempo prolongado de exposição dos artigos ao agente, agressão aos materiais; limitação de uso;

3. Utiliza temperaturas elevadas: 170º por 2 horas ( Bennet – 1982 );

4. Variação importante de temperatura dentro da estufa e das caixas de metal;

5. Temperatura varia de acordo com a quantidade de instrumental dentro da caixa.


Óxido de etileno:

1. Gás incolor, inodoro, explosivo e inflamável;

2. Dispendioso e tóxico;

3. Muito efetivo, matando microorganismos;

4. Boa penetração;

5. Esteriliza materiais sem danificá-los;

6. Compatível com muitos artigos médicos termo sensíveis: temperatura de 38 º a 55 º;

7. Ciclo fácil de monitorar e controlar;

8. Longo tempo de exposição: de 3 a 4 horas de acordo com a temperatura;

9. Exige longo tempo de aeração devido a resíduos tóxicos: aeração forçada de 8 a 12 horas;

10. Alto custo;

11. Autoclave a vapor de baixa temperatura, de 50 a 60 º C;

12. Indicador biológico: bacillus subtillis;

13. Indicador químico: fitas específicas;

14. Deve-se fazer controle residual cromatógrafo;

15. Tempo de validade: 1 ano.

- Portaria n º 4 de 31/07/1991 foi revogada e substituída pela n º 482 de 16/04/1999 e apresenta regulamento técnico para procedimentos de instalação e uso do gás óxido de etileno e suas misturas em unidades de esterilização.


Plasma de peróxido de hidrogênio:

1. O plasma é gerado através do substrato de peróxido de hidrogênio bombardeado por ondas de rádio freqüência;

2. É o 4 º estado da matéria, pois é definido como uma nuvem de íons, elétrons e partículas neutras, a maioria em forma de radicais livres;

3. É esterilizante de superfície;

4. Ciclo rápido: 50 a 75 minutos;

5. Não deixa resíduo no material;

6. Não é tóxico;

7. Não polui o meio ambiente e é seguro para o operador;

8. Indicador biológico: bacillus stearothermophillus;

9. Indicado para materiais termo sensíveis;

10. Embalagens: tyvek ( tempo de validade no HCPA é de 1 ano ) e a manta ou não-tecido ( tempo de validade 30 dias ).


Contra indicado para:

1. Artigos com tubulação longa> 40 cm ou com diâmetro < 3 mm;

2. Materiais que contenham fibras vegetais: algodão, celulose e linho;

3. Materiais que absorvam líquidos: nylon, poliester;

4. Líquidos e pós;

5. Não penetra em matéria orgânica.


Desvantagens:

1. Restrições com lúmens e comprimento dos artigos;

2. Uso de embalagem específica;

3. Processo caro.


Gás de formaldeído: processo de esterilização a baixa temperatura, de 50 a 60 º C, mais um composto de formaldeído a 2 % na presença de vapor saturado.

1. Usar para artigos tremo sensíveis;

2. Embalagem: papel grau cirúrgico

3. Desaconselhável para: papel, papelão, tecidos, luvas e tubos de borracha pela dificuldade de extrair o produto impregnado;

4. Não necessita aeração;

5. Baixo custo;

6. Não é inflamável, nem explosivo;

7. Alergênico;

8. Não tóxico em pequenas quantidades;

9. Mutagênico e carcinogênico em altas concentrações e exposição por longo tempo;

10. Método aprovado e amplamente usado na Europa;

11. Indicador biológico: bacillus stearothermophillus;


Esterilização por soluções químicas

1. Portaria do Ministério da Saúde n º 15 de 23 de agosto de 1988 estabelece: soluções esterilizantes devem possuir ação esporicida sobre esporos de bacillus subtillis e clostridium sporogenes; tempo de exposição para desinfecção do material de 30 minutos e para esterilização de acordo com o tempo de contato no qual o produto foi testado e aprovado.

Glutaraldeído 2 %

1. Utilização em artigos termo sensíveis;

2. Artigo deve ser previamente lavado e seco, pois a água altera a concentração da solução;

3. Deve ser totalmente imerso;

4. É importante cronometrar o tempo de imersão;

5. Tempo de exposição de 8 a 10 horas ou conforme recomendação do fabricante ( para esterilizar 0);

6. Precisam de ambiente ventilado;

7. Pode provocar irritação dos olhos, nariz ou garganta;

8. O enxágüe deve ser abundante;

9. Realizar controle de qualidade da solução por meio dos indicadores químicos próprios existentes no mercado e que podem ser adquiridos com o fabricante da solução;

10. A solução deve ser desprezada na data de validade expirada ou quando estiver sem condições de uso;

11. Validade, após ativada, de 14 e/ou 21 dias, de acordo com o fabricante, e não esquecer de datar.


Armazenamento e distribuição:

1. Destino: guarda de material

2. Local restrito de tráfego de pessoas;

3. Identificar prateleiras e pacotes;

4. Ambiente limpo.

5. Manter a esterilidade dos pacotes;

6. Temperatura deve ficar em torno de 18 a 25 º c;

7. Umidade entre 30 a 60%;

8. As prateleiras devem ter uma distância de 30 cm do piso, 50 cm do teto e 5 cm da parede;

9. Observar a reesterilização, para não deixar pacotes vencidos na prateleira;


Recomendações:

1. Menor manuseio;

2. Procurar o material pela identificação e não pela palpação;

3. Certificar-se da necessidade do uso;

4. Armazenar em local próprio;

5. Não prender com atílhos ou materiais que danifiquem a embalagem.




Instrumentos Cirúrgicos

Fonte: Portal Coren

8 comentários:

  1. lOS BIOINDICADORES BIOLOGICOS CON QUE FRECUENCIA SE RECOMIENDA SU UTILIZACION

    ResponderExcluir
  2. OLÁ MEU NOME É SELMA! MUITO OBRIGADO POR ESTE BLOG ELE ME AJUDOU MUITO COM MEU TRABALHO. SOU ESTUDANTE DE ENFERMAGEM E AS VEZES ENCONTRO MUITA DIFICULDADE MAS DESSA VEZ FOI ÓTIMO OBRIGADA MESMO.

    ResponderExcluir
  3. olá meu nome é Rute Gonçalves muito obrigada pelo blo ajudou -me muito ,amno cme

    ResponderExcluir
  4. muito bom o texto.
    Porém não falou sobre o teste de bowi dicki que também é de extrema importancia.

    Marilza

    ResponderExcluir
  5. presciso da ajuda de vocês, sou estudante de enfermagem e quero saber porque aquela borracha de latex usada em aspiração é esteril se ñ entra em contato com as vias aereas do paciente?? aguardo resposta......sou Lara

    ResponderExcluir
  6. Bom dia,
    Gostaria de saber mais informações de como montar um centro de esterilização, para atender a clinicas, hospitais, postos de saúde, consultórios médicos e odontológicos etc.
    Pois sou enfermeiro e tenho 2 autoclaves que estão a minha disposição e não sei por onde começo, gostaria de obter uma ajuda.

    Att.
    ALEXANDRE NÉO
    e-mail: alexandrenneo@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. e-Innovatio – Cursos Online na área da saúde e liderança, com vídeo-aulas em qualidade HD, tutores especializados prontos para tirar suas duvidas e certificado valido em todo o território nacional.
    Temos o Curso de Esterilização, Limpeza e Desinfecção de Artigos Médico-Hospitalares.
    Nosso objetivo é que qualquer pessoa possa aprender sem limites e com um custo acessível. Para isso disponibilizamos aos nossos alunos os melhores conteúdos educacionais e culturais do mercado, além da excelente experiência de nossos tutores. E para facilitar o acesso de nossos clientes, nosso site é compatível com as plataformas mobile, tablets, smart phones e dispositivos Apple.

    Acesso nosso site: www.e-Innovatio.com.br
    Curta nossa pagina no facebook: https://www.facebook.com/eInnovatio

    ResponderExcluir
  8. validade do papel grau cirúrgico
    validade do SMS
    validade do tyvek

    ResponderExcluir